Ao destino ninguém foge: vai cumprir-se o ideal - um tempo novo paira...
30
Abr 12
publicado por José Carlos Silva, às 20:34link do post | comentar

«Governo só volta a pagar subsídios e salários na íntegra em 2018»


publicado por José Carlos Silva, às 19:45link do post | comentar
O primeiro-ministro confirmou hoje a reposição gradual dos subsídios de férias e de Natal e dos cortes nos salários da função pública a partir de 2015, de acordo com a «margem orçamental» e «tão rapidamente quanto possível».

«A partir de 2015, iniciaremos a reposição gradual dos subsídios de férias e de Natal, bem como a reposição dos cortes na função pública, que foram efectivados durante o ano de 2011 e que foram aprovados no orçamento que foi apresentado em 2010», disse Pedro Passo Coelho.

O Chefe do Governo falava aos jornalistas em Beja, durante uma visita à Ovibeja, onde, entre beijos e apertos de mão a visitantes da feira, provou vinhos, azeites e presunto da região e ouviu modas alentejanas, tendo, inclusive, cantado uma delas.

«Nesta altura, há apenas uma indicação técnica quanto ao nível de reposição que será feita», disse Pedro Passo Coelho, referindo, no entanto, que «ela será feita, em qualquer caso, pela margem orçamental» que o Governo tiver.

No entanto, o «desejo» do Governo é que a reposição «possa ser» feita «tão rapidamente, a um ritmo tão intenso, quanto possível», frisou, acrescentando: «Não vale a pena estarmos nesta altura a antecipar essa questão».

Lusa/ SOL

 

publicado por José Carlos Silva, às 19:37link do post | comentar
 

À semelhança do que tem acontecido nos últimos meses com outras freguesias do concelho de Lousada, a Coligação Lousada Viva visitou Covas, nos dias 23 e 24 de abril, para conhecer os seus problemas e poder apresentar soluções que contribuam para a melhoria da qualidade de vida da população.

 

 

Rede de saneamento existe “para inglês ver”

 

Leonel Vieira, vereador eleito pela Coligação, elogiou o bom entendimento existente no executivo da freguesia de Covas, que é composto por três membros provenientes de diferentes listas. “Souberam ultrapassar as divergências políticas em nome do desenvolvimento da freguesia de Covas”, afirmou o edil.

 

Leonel Vieira incentivou ainda os presentes a participarem no “novo projeto de desenvolvimento económico e social para Lousada que a Coligação Lousada Viva se propõe liderar e implementar nas 25 freguesias do concelho” .

 

A reunião com os membros da Junta de Freguesia permitiu um conhecimento mais preciso da realidade, no que diz respeito ao saneamento e abastecimento de água. Assim, a cobertura da rede de água na freguesia ronda os 90%, enquanto a rede de saneamento cobre aproximadamente 80% da freguesia. Esta rede é abrangente mas inútil pois, com exceção do loteamento da Granja e parte da Rua do Bairral, a população não pode proceder à ligação, visto que não foi construída qualquer ETAR para receber os resíduos.

 

As preocupações da Junta de Freguesia neste momento são a pavimentação da Travessa da Costa nº 3, a colocação de iluminação pública na Rua da Escola, na Rua Coração de Jesus e em parte da Rua S. João Evangelista, desde o limite da freguesia de Figueiras até ao entroncamento com a Rua da Granja.

Com a construção da Zona Industrial de Freamunde, o caminho que liga, em Covas, a Rua do Coração de Jesus a Freamunde foi cortado. A Junta de freguesia já apresentou queixa e exige que a Câmara de Lousada tome uma atitude, pois a população daquele lugar de Covas está a ser prejudicada.

 

 

Centro Cultural e Desportivo de Covas desenvolve trabalho de excelência

 

O associativismo está vivo em Covas e o exemplo disso é o Centro Cultural e Desportivo, cujas instalações de qualidade são o resultado do excelente trabalho desenvolvido pela direção da Associação.

Existe um projeto para ampliar a sede social, com o objetivo de aí se poderem realizar outras atividades culturais e recreativas. Os deputados e vereadores da Coligação Lousada Viva lamentam que este projeto não tenha merecido o apoio por parte do Município de Lousada, o que levou ao adiamento da sua concretização.

 

 

Estabelecimentos de ensino veem o número de alunos reduzir

 

A escola básica da freguesia é acolhedora e está bem organizada. Verificou-se apenas que o refeitório continua a funcionar provisoriamente num contentor, o que se verifica já há vários anos.

 

Também o Jardim de Infância da Granja possui boas instalações, existindo alguns problemas de humidade que urge resolver, decorrentes do facto de não se poder ligar o exaustor. É de salientar que o edifício não tem Internet e o único computador do Jardim de Infância há muito que se encontra avariado.

 

Relativamente à rede escolar, a contínua diminuição de alunos é uma grande preocupação dos professores e da Junta de Freguesia, pois poderá pôr em causa a existência destes dois estabelecimentos de ensino.

 

 

Ex-candidatos homenageados

 

Na noite de terça feira foi ainda realizada uma sessão pública de homenagem aos antigos candidatos a presidentes de Junta pelo PSD. Foram homenageados José Coelho de Brito, Francisco Leal Ferreira, António Joaquim da Silva Ferreira, Albino Fernando Tristão Meireles, Ilídio Leal Ferreira e Agostinho Filipe Martins Pereira.


 

 

publicado por José Carlos Silva, às 19:24link do post | comentar
 
 
candida-barreira

Cândida Barreira militante do PSD e vereadora da Coligação Lousada Viva na Câmara de Lousada, acredita que as próximas eleições autárquicas vão marcar o início de um novo ciclo político no concelho. Nesta entrevista ao TVS, a vereadora fala do trabalho que tem desenvolvido na Assembleia Municipal e critica o facto do executivo liderado pelo PS não esteja a acolher as propostas apresentadas pela Coligação para a realização de obras e construção de equipamentos de proximidade e úteis para as 25 freguesias.
Cândida Barreira constata, ainda, que a requalificação da vila se tornou numa oportunidade perdida e refere que o complexo desportivo tem alguns equipamentos interessantes, mas a sua manutenção torna-se demasiado onerosa. Quanto à construção do parque urbano discorda da sua localização, devido ao pouco espaço que ali existe.
A vereadora defende ainda o fim das empresas municipais deficitárias que apresentem resultados negativos há mais de três anos.

TVS: Como avalia o trabalho desempenhado pela Coligação na Câmara de Lousada e na Assembleia Municipal (AM)?
Cândida Barreira: Procuramos fazer oposição de forma construtiva, responsável e sempre na defesa dos cidadãos e das instituições de Lousada. Na câmara e na AM temos apresentado centenas de propostas para a realização de obras e construção de equipamentos de proximidade e úteis para as 25 freguesias. Infelizmente a quase totalidade das nossas propostas não são aceites pelo executivo socialista.

TVS: Tem sido fácil dialogar com o executivo PS?
CB: O diálogo existe, mas não resulta, pois as nossas propostas são sistematicamente rejeitadas.

“O regimento aprovado pelo PS na AM é demasiado restritivo”


TVS: Aqui e acolá têm surgido alguns desentendimentos na AM, nomeadamente com o presidente deste órgão deliberativo. Considera que o regimento da assembleia não tem sido cabalmente cumprido?
CB: Como sabe, no anterior mandato fui líder da bancada da Coligação na AM e conheço bem a realidade. O meu colega Dr. Mário Fonseca por quem tenho muita estima e consideração tem um entendimento diferente do nosso sobre o funcionamento da Assembleia. O regimento aprovado pelo PS é demasiado restritivo e não permite que a oposição possa de forma democrática exercer o contraditório. É um regimento feito à medida de quem está no poder e não quer ser incomodado.

TVS: Numa das últimas Assembleias alguns dos membros da bancada da Coligação acabaram mesmo por abandonar a sala. Contudo, esta não foi uma posição unânime, alguns acabaram por permanecer no plenário. Na sua opinião não existe aqui uma tentativa da Coligação se aproveitar da situação?
CB: Quando esse episódio aconteceu, devido a motivos pessoais já não me encontrava na sala. Apenas tomei conhecimento que os deputados da Coligação foram impedidos de emitir a sua opinião, o que lamento.

TVS: Leonel Vieira vai ser o candidato da Coligação Lousada Viva às próximas eleições autárquicas?
CB: Espero e desejo que sim.

TVS: Na sua opinião é o candidato que reúne melhores condições para protagonizar uma corrida às eleições de 2013?
CB: Sem qualquer dúvida. Leonel Vieira tem currículo profissional, autárquico e político, com qualidades humanas para ser um grande presidente de câmara. Conhece bem o concelho de Lousada e o funcionamento do município.


TVS: O facto de Leonel Vieira, nas últimas eleições, ter encurtado a diferença eleitoral para o PS, que perdeu um vereador, é um indicador de que poderá ganhar a autarquia?
CB: É um bom indicador. Contra Jorge Magalhães, o Leonel Vieira obteve um grande resultado. E nas próximas eleições o atual presidente não se pode candidatar, abrindo-se, assim, um novo ciclo político.

TVS: Entre os militantes Leonel Vieira é o mais desejado?
CB: É o mais desejado entre os militantes e junto da população, como posso testemunhar no contacto com os lousadenses.

“Duvido que Pedro Machado seja o único candidato do PS interessado”


TVS: Quem é que, na sua opinião, vai ser o candidato do PS?
CB: No PS parece que Pedro Machado perfila-se para ser o candidato, mas duvido que seja o único interessado. Há muito frenesim na vereação socialista.
Trabalho com os dois na vereação e reconheço que Leonel Vieira tem o perfil mais adequado para ser presidente da Câmara de Lousada. Pedro Machado é um vereador esforçado. Por exemplo, nas atividades económicas não me lembro de qualquer ação relevante para o concelho. No urbanismo tem-se limitado a despachar processos, pena é que as pessoas ainda continuem a percorrer o calvário para obterem uma licença.

TVS: Considera que se a Coligação sair derrotada Leonel Vieira e Agostinho Gaspar, têm condições para continuar à frente do partido?
CB: Tenho a convicção de que a Coligação vai ganhar. Tem um projeto credível para Lousada e vai ter a confiança da maioria dos lousadenses.

TVS: As próximas eleições vão determinar uma mudança de ciclo político em Lousada?
CB: Em 2013 inicia-se um novo ciclo político e com novos protagonistas, espero que também seja colocado ao serviço dos lousadenses um projeto de desenvolvimento que beneficie todas as freguesias. Sei que a Coligação está preparada para liderar com sentido de responsabilidade esse novo ciclo. A mudança é desejável. 24 anos sempre com as mesmas pessoas e o mesmo partido é muito tempo.

“O presidente da câmara fez coisas positivas durante estes 22 anos. Poderia ter feito mais e melhor, mas nem sempre esteve bem acompanhado”


TVS: Teme que a atual conjuntura económico-financeira e a crescente crispação ao Governo, possa eventualmente fazer com que os eleitores optem por votar no PS ou escolher outras forças político-partidárias?
CB: Nas eleições autárquicas os eleitores votam mais nas pessoas do que nos partidos. Jorge Magalhães ganhou nos últimos 22 anos por ser quem é e não por ser do PS. Se assim não fosse, há muito que teria deixado de ser presidente.

TVS: Que avaliação faz do trabalho de Jorge Magalhães?
CB: O atual presidente fez coisas positivas durante estes 22 anos. Poderia ter feito mais e melhor, mas nem sempre esteve bem acompanhado. Falta de visão e planeamento é o que falta ao executivo socialista. Fizeram obras e construíram equipamentos com as centenas de milhões de euros que tiveram ao seu dispor, não obedecendo a qualquer planeamento.


TVS: O atual executivo tem sido várias vezes acusado de gastar dinheiro em obras de cosmética. O complexo desportivo enquadra-se nesse conceito?
CB: A grande obra de cosmética é a requalificação da vila que se tornou numa oportunidade perdida. O complexo desportivo tem alguns equipamentos interessantes, mas parece-me demasiado grande. A sua manutenção vai ser muito dispendiosa.

TVS: Como avalia as obras de requalificação que foram realizadas na vila e as alterações introduzidas?
CB: É uma obra que prima pela pouca qualidade. A modernidade, a funcionalidade e o bom gosto estão ausentes desta requalificação.

TVS: Concorda com a construção do parque urbano?
CB: Lousada precisa de um parque urbano grande e num local aprazível. O que está em construção vai ser pequeno e situa-se num local que deveria ser ocupado por outros equipamentos, pois aquele terreno é demasiado valioso para um pequeno parque urbano e sem qualquer possibilidade para crescer.

TVS: Concorda com a instalação de parquímetros
CB: É um mal necessário devido aos erros cometidos na requalificação da vila.

TVS: A autarquia lousadense deveria investir também na requalificação dos centros das freguesias?
CB: Sem qualquer dúvida. Considero que um dos maiores pecados da gestão socialista em Lousada é o de ter abandonado as freguesias e os presidentes de junta.

TVS: Várias vezes os deputados do PSD mostraram-se preocupados com a falta de médicos em Lousada. Sendo a Delegada de Saúde o que tem feito no sentido de resolver este problema?
CB: Estas questões ultrapassam as atribuições de uma gestão municipal.

“A carência de médicos de família é sentida em todo o país”


TVS: É verdade que cerca de 10% dos utentes do Centro de Saúde do concelho de Lousada estão sem médico?
CB: A carência de médicos de família é sentida em todo o País. Devido ao aumento do envelhecimento, distribuição territorial inadequada e diminuição de especialistas em Medicina Geral e Familiar.

TVS: Considera que o Serviço de Nacional de Saúde está em causa? Acha que o Serviço Nacional de Saúde tem sido alvo de crescentes ataques? Defende a privatização deste sector? O que é que o PSD Lousada e a coligação têm feito no sentido de minimizar este problema?
CB: O SNS permitiu que os cidadãos tivessem acesso rápido e de qualidade aos cuidados de saúde. O SNS não está em causa, mas muito ainda há a fazer para que todos os cidadãos possam ser bem servidos. O PSD de Lousada, principalmente através dos deputados na Assembleia da República, junto dos diferentes organismos do ministério da Saúde tem manifestado alguma preocupação com o que se passa em Lousada, nomeadamente com a falta de médicos de família, com as péssimas condições do edifício do Centro de Saúde de Lustosa e com o crescente desmantelamento de valências no Centro de Saúde de Lousada para outros concelhos do mesmo Agrupamento de Centros de Saúde (ACES).

TVS: No passado os municípios do Vale do Sousa apresentaram duas providências cautelares para tentar impedir a cobrança de portagens na SCUT do Grande Porto. Na sua opinião, este é um dossier encerrado?
CB: É penalizador para o concelho e para a região, mas atendendo às condições financeiras do país parece-me um facto consumado. Espero no entanto que quando a situação financeira do país melhorar o Governo possa alterar esta situação.

TVS: Concorda com as opções que este Governo tem feito em matéria laboral, nomeadamente com as alterações à atribuição do subsídio de desemprego e os cortes nas prestações sociais? E quanto às taxas moderadoras e os preços dos medicamentos?
CB: Como sabe estas medidas tomadas ou anunciadas pelo Governo são a consequência do acordo que o PS e o Eng. José Sócrates celebraram com a troika. Por mais que me custe, e algumas medidas são injustas, temos que as aceitar. O Governo tem procurado moralizar a atribuição de subsídios e nas taxas moderadoras a maioria dos utentes está isenta. Mesmo com os constrangimentos financeiros conhecidos, o Governo tem procurado implementar uma política de justiça social. E os preços dos medicamentos estão baixar.

TVS: Concorda com a Reforma da Administração Local e o processo de redução de freguesias?
CB: Não concordo. Espero que em Lousada, a câmara saiba gerir bem o processo e ouça todos os partidos políticos e a população.

TVS: Defende o reforço das competências das assembleias municipais?
CB: Defendo. Espero que a nova lei eleitoral autárquica que está prevista vise também reforçar os poderes das Assembleias Municipais. Hoje as assembleias são apenas palco para um debate inconsequente.

TVS: É a favor do encerramento destas empresas que apresentem resultados negativos há mais de três anos?
CB: As empresas municipais que não cumprem o seus objetivos para que foram constituídas e que acumulam constantemente prejuízo devem encerrar.

 

TVS


publicado por José Carlos Silva, às 19:18link do post | comentar
candida-barreira

Entrevista|Cândida Barreira, vereadora da Coligação Lousada Viva

Cândida Barreira militante do PSD e vereadora da Coligação Lousada Viva na Câmara de Lousada, acredita que as próximas eleições autárquicas vão marcar o início de um novo ciclo político no concelho. Nesta entrevista ao TVS, a vereadora fala do trabalho que tem desenvolvido na Assembleia Municipal e critica...

 

TVS


publicado por José Carlos Silva, às 13:11link do post | comentar


publicado por José Carlos Silva, às 13:08link do post | comentar


publicado por José Carlos Silva, às 12:20link do post | comentar

publicado por José Carlos Silva, às 12:17link do post | comentar

 Hollande conta com 53% das intenções de voto         

François Hollande continua a ser o favorito nas  sondagens. Os franceses escolhem dia 6 de maio o novo Presidente.         

O candidato socialista às presidenciais francesas François Hollande mantém-se  favorito para a segunda volta das eleições, com 53% das intenções de voto, e  Nicolas Sarkozy com 47%, revela uma sondagem hoje divulgada.

Ler mais: http://expresso.sapo.pt/hollande-conta-com-53-das-intencoes-de-voto=f722462#ixzz07HGLOV5C


29
Abr 12
publicado por José Carlos Silva, às 21:30link do post | comentar

 

Sempre gostei de folhear livros, seja qual for a sua natureza. Aprende-se lendo-se. Sempre gostei de perder tempo com as páginas dos jornais e percorrer as suas diversas notícias. Com o advento da internet dedico algum do meu tempo a tudo o que é notícia, principalmente nas áreas da educação, da cultura, da arte e do património, da política e da economia e em outras áreas que focalizem Lousada, o Vale de Sousa, a Região Norte e o país em geral. É óbvio que também me perco pelo que vai no resto do Mundo.

Mas, como devem compreender, é em Lousada que fixo o meu olhar, que centro os meus interesses e tento filtrar o presente para intuir o futuro. Os jornais, a internet, as vivências, a realidade do quotidiano, a existência do dia-a-dia, os acontecimentos indesmentíveis, aproximam-me desse futuro e dessa projeção expetável, mesmo que nem sempre desejável para quem a projeta.

Na internet gosto de me passear por blogues e indagar o que se escreve sobre esta terra. (Terra para a qual há mais de vinte anos anseio que um novo projeto, uma mudança responsável, seja protagonizada, desta feita por Leonel Vieira.) E foi num desses passeios que me deparei com duas situações dignas de reflexão. Uma das notícias aparece num blogue e a outra na página do facebook. Caminhemos para a reflexão.

Relativamente à primeira – o anúncio da candidatura de Pedro Machado à liderança do PS Lousada - é uma notícia interessante. Primeiro é revestida de uma simbologia tremenda: no dia em que os cravos desenharam o país. Vai presidir à Comissão Política que subscreverá a sua vontade de ser candidato à Câmara. Isto é, não está disposto a correr riscos. Faz bem. A cada dia que passa é cada vez mais candidato à Câmara. E ainda bem.

Quanto à segunda notícia – a polémica intervenção do deputado socialista, «o senhor Alves», que não esteve à altura dos acontecimentos e tendo causado um grande mal-estar na Assembleia Municipal com uma intervenção desajustada e incorreta relativamente ao presidente da Junta de Freguesia da Ordem. Situações que vêm sendo recorrentes na casa da política lousadense e em nada a prestigiam.

 


mais sobre mim
pesquisar neste blog
 
Abril 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9





comentários recentes
Tão querido :')Beijinhos
Posts mais comentados
1 comentário
subscrever feeds